Design Thinking: como usá-lo para ensinar melhor

O Design Thinking é uma metodologia baseada em pensamento crítico e criatividade. De forma resumida, trata-se de “pensar como um designer” para resolver problemas de quaisquer outras instâncias da vida – negócios, relacionamentos e, por que não, aprendizagem. Na verdade, em se tratando de Design Thinking, é importante pensar na definição de design como disciplina e não como a mera estética de produtos. O design como disciplina “tem por objetivo máximo promover o bem-estar na vida das pessoas”[i]. E isso é muito amplo.

Trazendo a discussão para o universo da educação e, principalmente, da educação online (ou e-learning), o Design Thinking se mostra como um poderoso aliado na árdua tarefa de inovar e otimizar a maneira como aprendemos. Ao longo dos últimos anos, muitos pesquisadores começaram a olhar para a metodologia do Design Thinking em busca de novas maneiras de abordar a educação e o processo de aprendizagem – e, mais recentemente, a educação online.

Tendo o Design Thinking a característica de olhar para os problemas de forma dinâmica, criativa e colaborativa, nota-se a oportunidade de entender como essa metodologia pode ampliar a eficiência e a efetividade da educação na vida das pessoas.

Neste artigo, você irá conhecer o Design Thinking e entender melhor como ele atua para melhorar a educação online.

O que é Design Thinking?

De maneira geral, o Design Thinking é um processo que se divide em 4 etapas: IMERSÃO, IDEAÇÃO, PROTOTIPAÇÃO e DESENVOLVIMENTO.

O infográfico abaixo, disponibilizado pela MJV Tecnologia & Inovação, uma consultoria brasileira focada em Design Thinking para a inovação de negócios, apresenta as principais características da metodologia:

Infográfico Design Thinking

Infográfico Design Thinking da MJV Tecnologia & Inovação

O Design Thinking na educação online

Etapas do Design Thinking

Como mostra o infográfico, o Design Thinking está rapidamente crescendo e sendo reconhecido como uma metodologia eficiente e inovadora de solucionar problemas. Por isso, listamos abaixo alguns cenários que mostram como ele pode colaborar para que uma melhor experiência de aprendizado seja criada para estudantes que realizam seus estudos na internet:

  • Ajuda a encarar problemas de maneira diferente: quando um educador utiliza o Design Thinking para criar uma aula ou curso, ele é impelido a deixar de lado os sistemas de aprendizagem padrão e passa a se concentrar nos problemas dos estudantes. Isso porque a metodologia inicia um ciclo de empatia, levando o educador a se colocar no lugar dos estudantes, percebendo melhor as necessidades de quem precisa aprender sobre tal assunto. Que problemas os alunos estão enfrentando na hora de aprender e como posso ajudar a resolver isso?, ele se pergunta. Nesse sentido, a prioridade deixa de ser a mera transmissão da mensagem e os resultados – qualitativos, principalmente – a serem alcançados pelos estudantes ganham nova importância no processo de criação do conteúdo explicativo.
  • É possível determinar a raiz do problema com maior certeza: na fase de imersão da metodologia o educador tem a chance de se aprofundar no problema e suas causas. Utilizando ferramentas como grupos focais, entrevistas e pesquisas (surveys), por exemplo, ele poderá determinar os problemas enfrentados por estudantes com mais assertividade e, assim, propor soluções mais eficientes.
  • Incentiva a inovação e a solução criativa de problemas: profissionais de e-learning que utilizam o Design Thinking são compelidos pela metodologia a pensar de maneira inovadora e a solucionar problemas de maneira criativa. Nada mais se trata que uma consequência da função do educador. Ele é um “solucionador de problemas” por natureza. Utilizando a metodologia ele será forçado a pensar de maneira diferente e a se arriscar em soluções pouco convencionais que podem vir a ser inovadoras.
  • Aumenta as chances de acertar na solução: devido à fase de prototipação, os educadores que utilizam a metodologia têm grandes chances de obter sucesso nas soluções que propõem. Isso porque as propostas serão testadas antes de serem lançadas no mercado.
  • A experiência do estudante será mais efetiva e informativa: o Desing Thinking ultrapassa o conteúdo e foca, também, na experiência do usuário – no caso, o estudante. O educador que faz uso disso será capaz de criar uma experiência de aprendizado focada no engajamento e nos resultados de seus alunos. Graças à metodologia, é possível prestar atenção em todo o processo de aprendizagem e seu desenvolvimento desde o começo.
  • Permite que o educador expanda seu conhecimento regularmente: feedbaks, avaliações e pesquisas são elementos integrais do Design Thinking. E a análise de dados não se encerra com o lançamento de um curso ou o fim de uma aula. Esse ciclo de respostas aos esforços do educador permite que ele continue testando e melhorando seus métodos, criando uma espiral de desenvolvimento profissional.

Conclusão

Há muito o que se falar sobre Design Thinking e é impossível fazer tudo caber em um único post. No entanto, podemos concluir, a partir do que foi exposto acima, que a metodologia pode trazer inúmeros benefícios para o desenvolvimento e a melhoria do ensino e da aprendizagem online.

Compartilhe nos comentários sua experiência com o Design Thinking ou nos conte o que mais gostaria de aprender sobre a metodologia.

[i] Design Thinking: inovação em negócios | Maurício Vianna… [et al.]. – Rio de Janeiro: MJV Press, 2012. 162p.: il.; 24 cm

Conteúdo exclusivo
Cadastre seu email e receba novidades exclusivas do Curseduca!

Sobre o autor