Home office: como ganhar dinheiro extra durante a faculdade

Ter uma formação no currículo é muito importante para conseguir bom espaço no mercado de trabalho, mas até que você finalize esta graduação, provavelmente terá que enfrentar estágios, e todos sabemos que na maioria das vezes, a remuneração por este tipo de trabalho não é muito alta. Nesse contexto surge o chamado home office.

Isto é uma pena, pois existem vários estudantes que têm qualificações suficientes para realizar funções igualmente ou até mesmo melhor do que profissionais que estão há anos no mercado. E é por isso que cresce cada vez mais o número de oportunidades para home office. Este tipo de trabalho têm características especiais e a relação entre cliente e profissional é muito diferente do que em trabalhos convencionais. Conheça um pouco mais sobre este tipo de trabalho:

Áreas para atuação como home office

É óbvio que um profissional na área de produção dificilmente conseguirá uma vaga para emprego home office. Ele pode ter uma máquina que realize a produção, mas é mais provável que forme seu próprio negócio, pois mais vantajoso. As vantagens do trabalho em casa se aplicam normalmente à atividades que podem ser facilmente feitas através de um computador pessoal. As áreas que têm mais demanda de trabalho home office são a de comunicação e a de TI (principalmente para a criação de sites).

Freelancer ou emprego fixo

É bom entender esta diferenciação. Criar um vínculo empregatício com uma empresa, e ela determinar que você poderá trabalhar em casa é totalmente diferente de ser um profissional autônomo e realizar trabalhos para vários clientes. Existem vários sites que disponibilizam plataformas de comunicação entre clientes e profissionais para os trabalhos conhecidos como freelas, e através deste link é possível conhecer alguns deles.

Trabalhar sem diploma

Como o texto é destinado à  estudantes que não contam com formação, mas querem atuar na área em que faz a faculdade, este tópico é fundamental. Nos sites de trabalhos home office, como os citados acima, existem vários tipos de oferta, e a necessidade de formação em algum curso pode ser requerida ou não pelo cliente. Normalmente, para os freelancers não é cobrada a graduação, e o profissional é contratado por suas qualidades.

A remuneração

Se você já ouviu falar sobre home office, mas não sabe se é possível viver disso, aí vai a resposta: depende da sua dedicação. Isso porque neste tipo de trabalho existe uma variante que é a produção. Quanto mais você produz mais você ganha. Tente conseguir vários clientes de acordo com sua possibilidade de entrega. Normalmente, o pagamento é feito por unidade produzida. Então, se você for um redator – como eu, por exemplo – a cada texto que produz, receberá uma quantia, que normalmente é acordada entre cliente e profissional.

Sem horário para entrada nem saída

A maior vantagem do home office é o desprendimento com horários. Não é necessário bater o cartão às 8hrs e sair às 18hrs, e você escolhe quando começa e termina a produção diária. Apesar disso, não confunda isso com falta de responsabilidade, pois seu cliente ou chefe (no caso de trabalho fixo) quer, da mesma maneira que em um trabalho convencional, que você entregue o que for pedido no prazo pré-estabelecido.

Conteúdo exclusivo
Cadastre seu email e receba novidades exclusivas do Curseduca!

Sobre o autor