Ingressou em um curso e não gostou? O que fazer agora?

É maravilhosa a sensação de trabalhar com o que gosta, ou aprender técnicas da profissão que você tanto sonhou seguir. Porém, nem todo mundo acerta de primeira na escolha do curso/carreira a seguir e se aplicar. Alguns simplesmente abandonam sem hesitar, e outros sofrem até sua aposentadoria fazendo algo que não lhe agrada.

Talvez você seja meu leitor alvo. Você que está aí lendo mais um artigo do Curseduca em seu computador, notebook, celular ou tablet, e que está extremamente desiludido, chorando porque não consegue encontrar a coisa certa para seguir. Eu vou servir hoje de ombro amigo, e espero poder ajudar.

Vou listar algumas possíveis soluções para o grande problema de desengano com um curso/carreira.

Primeiro pense: é realmente o curso/carreira o problema?

Eu não estou dizendo que o problema seja você, afinal, quem sou eu para dizer isso? O que eu quero que pense é que talvez não seja a profissão que não lhe agrada, e sim o ambiente. Se você não está entendendo muito bem, vou explicar, fazendo a divisão entre curso/carreira.

No caso do curso, existem fatores que interferem no gostar ou não, e um deles é o método de ensino. Isso, pode ter certeza, muda muito de instituição para instituição. Vou dar o exemplo do curso que faço, que é Jornalismo. Na faculdade que estudo, existe uma divisão balanceada entre prática e teoria, e eu me sinto satisfeito com este método, mas da mesma maneira, em outra faculdade, pode ser que um aluno esteja cansado, já no primeiro ano de tanta teoria, ou por só exercer na prática sem nenhum fundamento. Isso cansa, e pode ser um motivo para pensar que está seguindo o caminho errado.

No caso da carreira, em uma empresa, o funcionário pode também se frustrar com excesso de trabalho, cobranças absurdas, um plano de trabalho absurdo, e colocar a culpa na profissão. Essa, com certeza é uma coisa para se pensar. Mas se você tem certeza que este não é o seu caso, vamos tentar outra solução.

Realize testes de vocação

Pode parecer um absurdo, e muitos são céticos quanto aos testes de orientação vocacional. Porém, como citado em um outro post do Curseduca, eles podem sim ser uma alternativa para quem quer ter certeza do curso/carreira a seguir. Se mesmo assim a resposta não vier, não se desespere, não desisti de tentar te ajudar.

Faça o óbvio: siga seus sonhos

No intertítulo acima, coloquei isso como óbvio, mas algumas pessoas não se dão conta da obviedade desta alternativa. Eu até entendo que muitas vezes pensamos mais no financeiro, e o sonho de ser músico ou escritor fique para trás, e também compreendo que muitos não conseguem bancar um curso de medicina e direito ou acham que não vão conseguir por conta da dificuldade deles. Mas mesmo assim o meu conselho é: tente.

Você pode ter medo, então vou dar outra dica: continue em seu curso/carreira, mesmo que seja por obrigação, faça um sacrifício. Enquanto isso, nos tempos livres, tente encaminhar-se na área que você gosta, e quando você perceber que é seguro migrar para ela, vá em frente.

É como disse o escritor Roberto Shinyashiki:

“Tudo o que um sonho precisa para ser realizado é alguém que acredite que ele possa ser realizado.”

Este artigo te ajudou? Não? Comente abaixo o que achou, e se tem outra dica para encontrar o curso/carreira certo, fique a vontade, agregue valor a este post.

Conteúdo exclusivo
Cadastre seu email e receba novidades exclusivas do Curseduca!

Sobre o autor