Minhas pequenas escolhas com grandes repercussões

Começo esse texto com uma frase que resume a minha vontade de aprender todos os dias:

“O futuro dependerá daquilo que fazemos no presente”, Mahatma Ghandhi.

É difícil planejar o futuro, quando você mal sabe o que quer fazer no presente. Mas infelizmente você tem que tomar decisões o tempo todo, e tem certas decisões que podem custar tempo, e tempo é a única coisa que não se compra. Hoje em dia o mundo está cada vez mais competitivo, e por isso que você não pode parar.

Voltando alguns anos atrás, estava no Ensino Médio com os meus 16 anos, só pensava em diversão, foi muito bom, não posso negar, porém enquanto estava curtindo a vida, o tempo estava passando e já conseguia ver alguns amigos destacando-se, fazendo inglês e técnico. Eu estava ficando para trás.

Por que não fiz aquele bendito inglês ou o exaustivo técnico?

Sinceramente, não sei!

Felizmente, nada estava perdido, antes tarde do que nunca! Procurei uma escola de inglês para fazer aulas particulares e recuperar o tempo perdido. Estava de volta no jogo!

Na minha casa sempre tive o apoio de estudar em vez de trabalhar, acredite, isso faz toda à diferença. Meus pais deram todo o suporte para meu irmão e eu escolhermos uma faculdade e assim dar início a nossa vida acadêmica. Meu irmão, três anos mais velho, escolheu fazer um ano de cursinho preparatório para ingressar em uma faculdade pública, estudou e muito, cansáveis noites afundadas em livros e todo seu esforço foi compensado quando vimos seu nome na lista, sim, ele tinha se tornado um universitário em uma das melhores universidades do Brasil. Lá estava a prova de que quando você trabalha duro, você é recompensado.

Então, segui o mesmo caminho, comecei a fazer cursinho, porém, logo vi que não tinha o mesmo tesão pelos estudos igual meu irmão. Decidi começar a trabalhar e estudar ao mesmo tempo, com isso deparei com o segundo vacilo: mas por que quis trabalhar? Não sei, obviamente não consegui sustentar o ritmo de trabalhar e fazer cursinho ao mesmo tempo, então prestei uma faculdade gratuita perto de casa, e assim conheci a Faculdade de Tecnologia Termomecanica.

Chega ser um pouco cruel você ter que escolher qual curso fazer aos 18 anos, onde você não tem experiência alguma e não faz ideia do que quer fazer, mas é assim que o jogo funciona. A graduação é um grande passo na vida de uma pessoa, pois muitas vezes o curso escolhido é o que você vai fazer para o resto da vida, claro que você pode mudar de área no decorrer do caminho, como eu estou mudando aos poucos.

Como fui parar no curso de T.I.

Futuro

Segundo o MEC¹, o percentual de brasileiros com nível superior completo passou de 4,4%, em 2000, para 7,9% em 2010. Isso mostra como ter uma graduação hoje é um diferencial, pois cada vez mais que você estuda mais destaque no mercado de trabalho você vai ter.

Com base nessa informação, tive que escolher um curso que nunca na minha vida tinha pensado em fazer, Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Pois dentre as opções que tinha, essa era a mais cômoda naquele momento. Nunca deixe de fazer algo só porque é difícil.

Comecei o curso totalmente desmotivado, e assim conheci a tal Faculdade que todos falavam. Posso dizer que esse começo foi frustrante! Como não desisto de nada que começo, então estava eu lá todos os dias.

No decorrer dos dias, fui conhecendo as matérias na esperança de me identificar com alguma, mas foi difícil. Cursei três semestres desmotivado e ao mesmo tempo determinado em continuar, pois a Termomecanica tinha janta, isso mesmo, continuei pela janta e a esperança de conhecer algo diferente. E essa esperança chegou, descobri que T.I era mais do que programar e que existiam outros papéis e áreas. Tive a sensação de que comecei a minha faculdade depois de um ano e meio cursando. E com isso aprendi que não pode desistir na primeira dificuldade.

Desistir, para mim, não é uma opção!

Às vezes parece mais fácil desistir e começar de novo, mas chamo atenção para não desistir toda hora que achar que não vai gostar ou conseguir algo, pois assim você nunca vai terminar nada que começou. Mas mesmo que você desista de um curso, aquele tempo não foi em vão, você provavelmente aprendeu alguma coisa.

Conheço pessoas que decidiram trocar de curso e estão muito bem. Desenvolver atividades que se gosta é o grande sucesso!

 “Não desista. Geralmente é a última chave no chaveiro que abre a porta.”, Paulo Coelho.

 ¹ Número de brasileiros com graduação cresce 109,83% em 10 anos – http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17725

Conteúdo exclusivo
Junte-se a #criadoresdigitais para receber emails rápidos

Sobre o autor

16 comentários

  1. Ivana Claudete Barros
  2. Vanessa Pereira Leite
  3. Allan Müller Buscarino
  4. Camila Colonese
  5. Renan Quartero
  6. Rafael Pineda Zuliani
  7. Edlayne
  8. André Pereira Fonseca
  9. Victor Pini
  10. Caito
  11. Bruno
  12. Caio Lacerda
  13. David Moura
  14. Rafael Santos
  15. Lucas Fernandes
  16. João Luís Barros Carrilho