5 dicas de como não deixar as redes sociais atrapalharem na busca por um emprego

Ficar “fora do radar” das redes sociais, na atualidade, é praticamente impossível. Alguns diriam inimaginável. Principalmente para quem busca se estabelecer no mercado de trabalho. Algumas pessoas conseguem, mas a verdade é que poucas querem estar ausentes desse universo virtual.

No entanto, o fato de que há muitas pessoas nas redes sociais não exclui a necessidade de ter cuidado com o que é postado ali. Há muito tempo os seus perfis online deixaram de ser úteis somente para que você reconecte com amigos do passado, se mantenha em contato com familiares que moram distante ou colecione memórias da sua vida.

As redes sociais são, também, ferramentas poderosas de marketing e branding pessoal que potencializar (e muito!) a sua procura por emprego. Uma rede como o LinkedIn, por exemplo, já chega ao ponto de ser essencial para quem busca seu “lugar ao sol” no mercado de trabalho. Além disso, muitos grupos de Facebook foram criados com a única função de facilitar o contato entre empresas e profissionais, os primeiros divulgando vagas e os últimos compartilhando seus portfólios.

redes sociais

Eis, no entanto, a questão: muita gente se preocupa em ter e manter uma presença online, mas poucos se preocupam em cuidar da imagem que esta presença online passa para recrutadores e empregadores.

Então, se o lado positivo das redes sociais é que todo mundo está te vendo (e, como diz o ditado, “quem é visto é lembrado”), o lado negativo é que todo mundo está te vendo (inclusive seu potencial empregador).

Segundo uma pesquisa online realizada no ano passado para a plataforma CareerBuilder, as principais razões para que uma empresa/empregador desista de contratar alguém, com base em seus perfis em redes sociais, são: postagem de fotos ou informações provocativas e inapropriadas, postagens nas quais aparecem bebendo ou usando drogas, postagens falando mal da antiga empresa ou de colegas de trabalho, demonstrações de que a pessoa não é comunicativa, comentários discriminatórios e postagem de informações confidenciais de ex-chefes/empresas.

E, para evitar que os seus perfis se tornem os vilões da sua trajetória profissional, preparamos uma lista abaixo para que você “arrume a casa” e não seja traído pelas redes sociais que utiliza:

1. Procure por você mesmo no Google

O primeiro passo para saber se os seus perfis nas redes sociais estão te ajudando ou atrapalhando é procurar por você mesmo no Google. Lá você poderá ver o que os empregadores e recrutadores veem. Analise se aparece alguma informação que possa lhe prejudicar em processos seletivos e faça o possível para tirar tal conteúdo da internet. Lembre-se que manter uma presença online é muito importante, mas também é preciso ter controle sobre o que as pessoas têm acesso.

2. Use e abuse das configurações de privacidade

redes sociais

Redes sociais, de maneira geral, surgiram com o intuito de divertir, entreter e ser um canal aberto para que cada um se expresse da maneira que achar melhor. Há regras, claro, mas essa noção de diversão, de compartilhar momentos alegres e expor opiniões é muito mais aparente. No entanto, na hora de procurar emprego, aquela foto “comprometedora” da balada do fim de semana pode fazer toda a diferença – e não no bom sentido.

O ideal é que você use as suas redes para se expressar, sim, mas evite postar conteúdos inapropriados e controversos. E, caso queira compartilhar aquela foto mesmo assim, limite a visualização para os seus amigos. Mas, tenha em mente que, hoje em dia, qualquer postagem pode atingir uma escala viral num piscar de olhos, graças aos “likes”, “tags” e “retweets” da vida.

3. Erros gramaticais também são feios nas redes sociais

Não é porque você está em um ambiente tecnicamente informal que deve deixar de se preocupar com a gramática. Independente da sua área de atuação, um bom conhecimento do seu idioma é sempre um ponto a seu favor na hora de concorrer a uma vaga. Então, não deixe a bola cair e revise os seus posts antes de clicar em “enviar”.

4. Diga-me com quem andas…

redes sociais

É certo que depois de um tempo de presença constante nas redes sociais acaba ficando difícil saber que é exatamente cada um dos seus “amigos”. No entanto, é bom checar a sua lista ocasionalmente e cortar os laços virtuais com pessoas que podem ter conteúdos que as empresas reprovem. Você pode receber algumas críticas de quem “perdeu a sua amizade”, mas é por uma boa causa.

5. Atualize suas informações profissionais

Mantenha as suas informações profissionais atualizadas e alinhadas com o que diz o seu currículo. Seja rigoroso com os nomes das empresas em que trabalhou, dos cargos que ocupou e com a linha do tempo de cada um deles. Caso essas informações não estejam alinhadas, você pode passar uma imagem de desleixo ou, até mesmo, de pouca confiabilidade. Mesmo que você já tenha um emprego e esteja à procura de algo melhor, deixe isso claro em todos os canais informativos existentes entre você e a empresa na qual você deseja trabalhar.

CONCLUSÃO

Ter uma presença online, nos dias de hoje, é essencial para que você possa competir e alçar voos mais altos no mercado de trabalho. Mas, tão importante quanto tê-la, é cuidar para que as informações contidas ali não se voltem contra você e atrapalhem os seus planos profissionais. Não se trata de tornar as suas redes sociais uma cópia do seu currículo e carregá-las de informações quadradas e desinteressantes. Trata-se de encontrar o equilíbrio entre mostrar aos empregadores quem você é (sim, eles querem saber sobre você e não apenas “fiscalizar o que você fora do horário comercial”) e não exagerar na informalidade.

Conteúdo exclusivo
Cadastre seu email e receba novidades exclusivas do Curseduca!

Sobre o autor