Redes sociais combinam com vida profissional?

Dados sobre o comportamento dos usuários de redes sociais indicam que 76 milhões de brasileiros estão no Facebook. Mais de 40 milhões tem conta no Twitter (só perdemos para os EUA), e outras redes como Linkedin (15 milhões de usuários, atrás apenas dos EUA e Índia) e Youtube (onde somos também os segundos, atrás dos norte-americanos) também são muito usadas por aqui. Com certeza você, que está lendo esse artigo, está em pelo menos uma dessas redes sociais (se não está em todas). Mas você sabe como utilizá-las em benefício de sua carreira?

Muito além do meme do momento

As redes sociais já fazem parte de nossa vida diária. O contato com amigos que estão longe, a leitura de notícias, as brincadeiras que estão na boca do povo – atualmente, tudo passa pelas redes sociais. Mas você pode ir além da diversão e aproveitar as toneladas de conteúdo que são postadas diariamente nessas redes. Siga nossas dicas!

Networking pelas redes sociais

redes sociais

Use as redes sociais para ampliar o seu networking. Mas, como conhecer pessoas da sua área, ou que desenvolvem um trabalho parecido com o seu? Principalmente no Facebook e no Linkedin, busque os grupos temáticos – com certeza existem os ligados à sua especialidade. Para encontrá-los, vale buscar o nome da profissão (jornalista, arquiteto, administrador) ou termos relacionados ao que você faz (comunicação digital, casas sustentáveis, gerenciamento de projetos). Mas não basta entrar no grupo e ler as mensagens: participe dos debates, sugira discussões, faça perguntas aos profissionais mais experientes… interaja!

Fonte de ideias, experiências, cases e exemplos

A maioria dos blogs especializados que você já segue mantêm perfil em redes sociais, onde muitas vezes é postado material que não vai para o blog. Aproveite para aprender mais e manter-se atualizado com as ideias, cases e experiências compartilhadas nos grupos de discussão, perfis de empresas e páginas de notícias presentes no Facebook, Linkedin e outras redes.

Canal de divulgação de portfólio

Principalmente para quem trabalha por conta própria, é importante manter um portfólio online para manter seu trabalho visível para potenciais clientes. As redes sociais funcionam bem para divulgação desse material – você pode manter o link em seu perfil pessoal e divulgá-lo em grupos que debatam assuntos relacionados à sua área, por exemplo. Para quem trabalha com vídeo, o Youtube é uma opção gratuita de hospedagem de material (que deve ser organizado em uma página pessoal personalizada, que fica mais profissional). Para o pessoal da imagem, o Flickr funciona muito bem. Outra opção é montar um blog ou website que reúna todos os seus trabalhos – e essa dica vale para todas as áreas – e utilizar as redes sociais para divulgá-los por aí. Só não vale deixar toda essa experiência no fundo da gaveta!

Acesso a tutoriais e dicas

Precisa montar um currículo não sabe por onde começar? Digite “currículo” no Youtube e tenha acesso instantâneo a dezenas de tutoriais. Quer aprender a se comportar em uma entrevista de emprego? Vários vídeos foram feitos pensando em ajudar o candidato a uma vaga de emprego nesse momento crucial. Uma busca mais genérica – pelo termo “marketing pessoal”, por exemplo – traz milhares de dicas úteis para quem aprimorar sua imagem. Sem contar os inúmeros cursos de línguas e de informática encontrados gratuitamente nessa rede de compartilhamento de vídeos. Falta de grana não é mais desculpa para você não se aprimorar!

Cuidado com a fonte

As redes sociais em particular – e a internet em geral – podem ser fontes praticamente inesgotáveis de informação, contanto que você tenha um cuidado muito importante: o de checar a fonte da informação que chega até você. Boatos são muito fáceis de se espalhar, e ainda mais quando as pessoas estão ligadas em rede. Mas como separar o joio do trigo, e saber se a informação é realmente confiável?

Networking

Em primeiro lugar, cheque a fonte primária da informação que a pessoa está divulgando. O que é uma fonte primária? É quem realmente detém os dados. Exemplos? IBGE, Ministério da Educação, entidades envolvidas (se você quer informações sobre educação superior, por exemplo, universidades brasileiras e estrangeiras estariam nessa categoria) e instituições de pesquisa são fontes primárias de informação.

Outra alternativa confiável de dados vem de publicações científicas reconhecidas. Teoricamente, a mídia tradicional checa as fontes primárias antes de publicar algo, e deveriam ser boas fontes. Não descarte, porém, a mídia independente, que muitas vezes faz checagens ainda mais eficientes que a mídia tradicional. Fique atento, porém, a quem está sendo entrevistado: qual a experiência dessa pessoa que está passando a informação? Tomando alguns cuidados, as redes sociais podem trazer todo um mundo de possibilidades para a sua carreira.

Conteúdo exclusivo
Cadastre seu email e receba novidades exclusivas do Curseduca!

Sobre o autor