Títulos: como torná-los interessantes e “grudentos”

Tem um dito popular que diz que não devemos comprar um livro pela capa. Mas muita gente “compra” o conteúdo pelos títulos. Isso não é premeditado. É uma questão muito mais biológica. O nosso cérebro não responde bem ao tédio, então é natural que não nos importemos em ler/assistir/consumir conteúdos que não nos chamam a atenção.

Por um lado, isso é bom. É uma espécie de “filtro natural” de informação. Por outro, pode fazer com que um conteúdo primoroso não alcance tanta gente. A melhor solução pra isso é criar títulos que sejam mais interessantes e, de fato, “grudem” na cabeça do leitor (ou espectador), gerando a necessidade de consumo do conteúdo.

Isso vale para títulos de posts, livros, vídeos e, também, cursos online. Imagina quantos alunos mais você pode atrair ao criar títulos melhores para cada aula?

Qual a fórmula dos títulos perfeitos?

títulos eficientes.

Em se tratando de títulos, duas coisas são primordiais: escolher bem a palavra-chave a ser rankeada e a chamar a atenção do leitor para que ele consuma o conteúdo.

Para o especialista Leo Babauta, do site Zen Habits, um bom título é aquele que (1) chama a atenção do leitor; (2) deixa claro quais benefícios a leitura do texto trará a ele; e (3) gerar curiosidade. Se um título tiver essas três características, é quase certo que o conteúdo que ele acompanha será lido.

No marketing, essas três características deram origem a algumas fórmulas para a criação de títulos bem-sucedidos. Algumas dessas fórmulas são o uso de sequências numeradas (as famosas listas), o uso de perguntas provocativas e os títulos no estilo “como fazer”. Falaremos sobre essas fórmulas mais adiante, mas posso adiantar uma coisa: elas funcionam.

Essas fórmulas são efetivas e nos fazem querer clicar no título ou no botão do play. No entanto, elas não são perfeitas. Como afirma Babauta, “fórmulas são um bom lugar para começar”, é importante conhece-las e usá-las para saber o que funciona para o seu conteúdo e para a sua audiência, mas é possível – e mais que isso, importante – inovar em cima delas para dar autenticidade e verdade ao que você escreve e produz.

O título deve ser coeso ao que o conteúdo entrega. Não adianta criar um título altamente “clicável” e levar o leitor a um conteúdo que não sacia a curiosidade incitada. Título e conteúdo devem estar em harmonia.

Vamos, então, à parte prática:

As fórmulas mais usadas

  • Sequências numeradas: esses são os títulos chamados de “lista” (“5 maneiras de ganhar dinheiro online”, “50 exercícios para secar a barriga”, “1000 lugares para conhecer antes de morrer” etc.). O ser humano é naturalmente atraído por listas, principalmente se elas forem numeradas. Isso porque o cérebro gosta de coisas previsíveis e didáticas.
  • Perguntas provocativas: são títulos que colocam uma questão polêmica ou provocativa a ser respondida (“Como evitar a III Guerra Mundial?”, “Como ser feliz?”, “O que fazer para correr uma maratona?” etc.). O cérebro humano também gosta de respostas e não gosta de “lacunas”. Esse tipo de título – como outros – gera um chamado gap de conhecimento, uma lacuna de informação que o cérebro passa a querer preencher consumindo o conteúdo.
  • “Como fazer”: são títulos que escancaram os benefícios trazidos pela leitura do conteúdo (“Como criar um curso online de sucesso”, “Como perder peso sem dieta”, “Como construir o seu próprio robô” etc). Nesses casos, a especificidade é bem-vinda. Saber o que pode tirar de proveito de um conteúdo é um motivo muito forte para consumí-lo.

Outras dicas

títulos interessantes.

  • Use verbos curtos, priorizando a ação desejada (aprenda, faça, crie…);
  • Use poucas palavras, mas com eficiência;
  • Evite palavras muito difíceis;
  • Seja específico, não use meias palavras;
  • Listas são legais, mas não abuse;
  • A palavra “você” cria empatia entre o leitor e o conteúdo;
  • Além dos benefícios, quando possível, adicione no título um caráter de urgência (“Aprenda a fotografar em 7 dias”, “Emagreça 3 quilos em uma semana”, “Crie seu site em 30 minutos”);
  • Use palavras de impacto. O Henrique Carvalho, do Viver de Blog, as chama de P.E.P. (Palavras Extremamente Poderosas). Algumas delas são “verdade”, “garantido”, “urgente”, “resultado”, “gratuito”, “importante”, “inédito” etc.;
  •  Usar palavras pouco convencionais, mas fáceis de serem entendidas. Lembram do “grudentos” no título desse post? =)

Conclusão

Títulos são tão importantes quanto o próprio conteúdo, afinal, é o primeiro que abre a porta para o segundo. Vale lembrar, no entanto, que apesar de existirem fórmulas para criar títulos interessantes e difíceis de serem ignorados, o mais importante é prezar pela integridade do conteúdo e sua autenticidade.

Conteúdo exclusivo
Cadastre seu email e receba novidades exclusivas do Curseduca!

Sobre o autor