Descubra as vantagens de Estudar no Exterior

Quantos jovens que estudam um idioma estrangeiro e tem acesso ao ensino superior alguma vez não se imaginaram fazendo um intercâmbio para estudar no exterior? Pois é, eu como muitos outros já passei por isso. E também tive a alegria de viver essa experiência. Entretanto, num pais onde o acesso à universidade é ainda um sonho distante para muitos, estudar no exterior é algo pelo qual poucos se permitem sonhar. Apesar de toda essa problemática, a qual sou muito sensível, vou me concentrar apenas nas principais questões que afligem um pretenso intercambista, tais como: por que estudar no exterior? O que isso trará para minha vida? Como o mercado de trabalho responde à essa experiência? Por onde devo começar a procurar? Quanto vai me custar? Entre outras indagações.

Não há respostas certas ou erradas para essas questões, pois cada pessoa tem a sua própria percepção a respeito de cada um desses assuntos. Logo, valendo-me das minhas experiências, darei uma visão estritamente pessoal sobre cada um desses tópicos.

Por que estudar no exterior?

Eu sempre fui fascinado pelas grandes cidades do mundo, especialmente as européias. E o motivo para isso é muito simples: ao longo de toda a minha vida escolar a Europa foi o centro de tudo. Ela foi o berço da civilização e do pensamento moderno ocidental, o continente que “descobriu” e colonizou o novo mundo. Então me parece no mínimo natural que eu tivesse vontade de conhecê-la.

estudar no exterior

Estudar no exterior

Logo que eu entrei na universidade, descobri que a minha escola tinha uma série de convênios com diversas universidades do mundo todo. Dentre todos os países que a minha escola tinha convênio, a França era o que oferecia mais oportunidades. Procurei me informar a respeito desses convênios, e três aspectos principais me fizeram brilhar os olhos: o primeiro era que ao final do programa eu sairia com dois diplomas, um de cada escola (a brasileira e a francesa). O segundo aspecto foi a duração, que era de dois anos, tempo que eu considerava ideal para o que eu estava procurando. O terceiro foi que a escola era nada mais nada menos que em PARIS, morar dois anos na Cidade Luz era muito mais do que eu tinha sonhado.

Considerei muitas outras questões na minha escolha de estudar na França, como o fato de aprender um novo idioma (já que eu tinha um bom domínio da língua inglesa), a França é uma referência em engenharia civil, a facilidade de se viajar a preços acessíveis para estudantes, uma bolsa garantida pelo governo brasileiro, a culinária e por sempre ter me identificado com a sua história.

O que isso trouxe para minha vida? Como o mercado de trabalho responde à essa experiência?

Primeiramente, quando decidi estudar na França a última coisa que eu pensei foi o que isso agregaria ao meu currículo. Para muitos isso pode parecer inusitado, até mesmo que eu esteja tentando passar um ar humilde ou de desapego das questões materiais. Não caro leitor, não é nada disso. O fato era que eu estava tão afoito com a oportunidade que eu tinha em mãos, que não conseguia pensar em nada além daqueles dois anos que eu viveria na Europa. Pensei nas viagens, no idioma que aprenderia, nas pessoas que conheceria e em como valeria a pena viver aqueles dois anos. De fato, foi tudo o que eu fiz. E o faria novamente.

estudar no exterior

Mas claro, não posso negar que estudar no exterior tenha me ajudado. Amadureci muito não só como pessoa, mas como profissional também. Pois além de aprender um novo idioma, tive a oportunidade de fazer dois estágios no exterior. Não tenho dúvidas que essa experiência tenha deixado meu currículo mais interessante. Entretanto, ainda sigo com a opinião de que o mais importante é tudo aquilo que eu vivi. Muita gente vive pensando como as ações de hoje vão te ajudar amanhã, ignorando o que a vida tem a lhe oferecer agora.  Amanhã ou depois serão sempre uma incógnita. Viver o presente com toda a sua intensidade, mantendo-se aberto para os ensinamentos que a vida te dará hoje é o melhor jeito de se preparar para o que está por vir.

Por onde devo começar a procurar? Quanto vai me custar?

Como disse anteriormente, no meu caso eu procurei internamente na minha universidade. Mais precisamente na secretaria de relações exteriores da minha escola. Entretanto, o Brasil vive hoje um momento inédito para estudar no exterior, que vem tornando essa oportunidade cada vez mais acessível.

O governo federal lançou em 2011 o programa Ciências sem Fronteiras, cujo objetivo é oferecer, até 2015, por volta de 100.000 bolsas de estudos. Os valores das bolsas variam por país e por modalidade (graduação, doutorado ou pós-doutorado). As bolsas são mais que suficientes para todas as necessidades básicas de um estudante. Quando fiz o meu intercâmbio, entre 2009 e 2011, ganhava uma bolsa de 870 € mensais. Fora o dinheiro da passagem, seguro saúde e auxílio alimentação. Hoje, para a mesma modalidade (graduação) ela pode chegar a 1.200 € mensais. Visto que a inflação na Europa é quase zero, essa quantia permite uma vida bem confortável (incluindo viagens).

Essas informações podem ser encontradas no site do programa Ciências sem Fronteiras: http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf.

No site, o leitor notará que não há bolsas para mestrado. Para esse caso, tenho outra sugestão, o programa de mestrado que faço atualmente: o da Fundação Renault. Já anunciamos esse mestrado aqui no Blog  (link: https://curseduca.com/blog/quer-fazer-mestrado-ou-mba-na-franca/). Nesse programa em específico, além dos mestrados terem um viés mais profissional e menos acadêmico, ele oferece também um MBA. Todos os cursos são na França, logo o domínio da língua francesa é obrigatório.

Há muitas outras oportunidades de intercâmbio, umas mais acessíveis que outras. Tudo depende de você se interessar e ir atrás. E uma coisa é fato, a falta de informação é um quesito que elimina muitos candidatos. Ou seja, as pessoas que se informam e que vão atrás, certamente deram um passo significativo deixando-as em vantagem em relação àquelas que não se mexem. Isso não é válido só para o intercâmbio, é para tudo na vida.

Conteúdo exclusivo
Cadastre seu email e receba novidades exclusivas do Curseduca!

Sobre o autor

  • Caio Marcelo

    Ótimo artigo. Estudar no exterior tem sido a escolha de muitos para auxiliar a sua carreira ou até mesmo buscar novas oportunidades. Esta experiência de estudar no exterior é uma grande oportunidade para sua vida pessoal, pois além de aprimorar um segundo idioma, poderá conhecer novas culturas, interagir com pessoas de diversas nacionalidades e agregar valor ao seu currículo profissional.