Youtube X plataforma de e-learning: onde colocar seus vídeos?

Num mundo movido a memes, virais e youtubers prendendo a sua atenção na internet, gerar renda no Youtube parece ser a terra prometida da produção de vídeos online. Mas, na verdade, não é bem assim. Ganhar dinheiro na plataforma de vídeos do Google é um pouco mais complicado que se imagina. Principalmente quando falamos de vídeos para um nicho específico, como é o caso dos vídeos informativos, explicativos, cursos online, webinários etc.

Ganhar dinheiro no Youtube envolve, além da produção do vídeo em si, uma série de siglas, algoritmos, métricas, uma quantidade infinita de visualizações, anúncios publicitários e uma saga repetitiva de pedir os espectadores para se inscreverem no canal, curtirem e compartilharem o seu conteúdo para que ele seja considerado relevante.

Não há nada de errado em tentar gerar renda no Youtube, a plataforma é vasta e se você souber trabalhá-la poderá conquistar o seu espaço lá dentro. No entanto, se você produz conteúdos específicos e deseja ver resultados melhores e em menos tempo, há outras possibilidades a serem exploradas.

Neste artigo, vamos mostrar como os produtores de conteúdo ganham dinheiro no Youtube, porque ele não vai te deixar rico e porque as plataformas de e-learning são a melhor opção para hospedar, divulgar e vender o seu conteúdo.

Como os canais de Youtube geram renda

Youtube + AdSense = $$$

Quem nunca viu um vídeo do Felipe Neto, da Kéfera, da JoutJout ou do Felipe Castanhari e pensou: “Cara, eu posso ser youtuber…”. O que ninguém pensa é que há muitos fatores que contribuíram para esses youtubers chegarem ao sucesso que têm. O primeiro deles é que eles começaram a postar vídeos há muitos anos, quando a competição por visualizações dentro do Youtube não era tão ferrenha quanto é hoje em dia.

Ok, mas como eles geram renda? A monetização de vídeos oferecida pelo Youtube funciona por meio da veiculação de anúncios no início ou no meio dos vídeos e em banners centrais e laterais da página. Ao fazer o upload de um vídeo, você tem a opção de monetizá-lo, ou seja, habilitar a veiculação de anúncios nos seus vídeos e ser remunerado pelo Google Adsense. No Brasil, o Youtube paga de U$ 0,05 (cinco centavos de dólar) a U$ 5,00 (cinco dólares) por cada 1000 visualizações dos vídeos de um canal.

Esses valores são determinados, basicamente, por duas variáveis: o CPM e o RPM. CPM (cost per mil) é o valor que o anunciante paga por cada 1000 visualizações do seu anúncio e RPM (revenue per mil) a renda gerada pelo criador de conteúdo a cada 1000 visualizações monetizadas. Até aqui parece ser um sistema fácil de ser desvendado. Então, qual é o problema?

O problema é que essas variáveis são… variáveis (=D).

=D

Isso quer dizer que você que investe tempo e esforço produzindo conteúdo em vídeo para o Youtube não nem absolutamente nenhum controle sobre esses números. O RPM de um youtuber depende do número de inscritos no canal, na sua quantidade de visualizações, no tipo de público que o canal atinge, no tempo de retenção de cada vídeo (quantos segundos do vídeo foram, de fato, assistidos), no total de minutos visualizados do canal, no interesse dos anunciantes no seu canal etc. Enfim, há uma série de regras e pormenores a serem seguidos.

No próprio Youtube, há vídeos de criadores de conteúdo que relatam terem recebido, do Adsense, pouco mais de R$ 2.500,00 em mais de 18 meses de canal. Ou seja, chegar a um patamar em que seus ganhos no Youtube serão grandes o suficiente para ser a sua principal fonte de renda é um caminho árduo.

Então por que alguns youtubers ganham tanto dinheiro? Primeiro porque eles já estão há anos coletando visualizações e inscritos em seus canais. Em segundo lugar, a maioria deles trabalha com humor e/ou entretenimento, o que tem potencial para arrebanhar uma grande audiência. Além disso, o público principal da maioria deles é formado por adolescentes, que passam grande parte de seus dias online. Finalmente, o maior ganho desses profissionais não vêm dos anúncios veiculados em seus vídeos, mas de contratos publicitários, patrocínios, participação em eventos, divulgação de produtos nas redes sociais, livros, entre outros.

Então, para onde ir?

além do youtube

Como dito antes, apesar de ser difícil gerar uma renda sólida no Youtube, não é impossível. E a plataforma é, com certeza, a melhor opção para alguns tipos de conteúdo. No entanto, em se tratando de conteúdo informativo, explicativo, vídeo-aulas, webinários e cursos online, as plataformas de e-learning provavelmente serão capazes de gerar resultados melhores e em menos tempo.

Plataformas de e-learning são sites com áreas de membros criadas especificamente para hospedar esse tipo de material em vídeo. A principal vantagem dessa ferramenta é exatamente o que falta no Youtube: controle. Ao usar uma plataforma como o Curseduca Pro, você decide quanto vale o seu conteúdo, organiza como ele vai ser publicado e consumido, consegue saber quem vai ter acesso a ele e ajudar essas pessoas mais diretamente, desenvolve a sua captura de leads e acompanha o progresso dos alunos.

Com o Curseduca Pro seu esforço é recompensado mais rapidamente e é possível gerar uma renda consistente com mais facilidade. E o melhor, você não precisa ter uma audiência enorme ou uma quantidade absurda de visualizações para ganhar um bom dinheiro. Conheça a plataforma e comece a gerar renda com seus vídeos o mais rápido possível.

Conteúdo exclusivo
Cadastre seu email e receba novidades exclusivas do Curseduca!

Sobre o autor